Sábado, 4 de Agosto de 2007
Mobiliário urbano e negócios de publicidade no espaço público.

Espero que a nova equipe da CML, resultante destas eleições intercalares, modifique os procedimentos até agora utilizados pelo director do departamento de gestão do espaço público.Um dos casos mais flagrantes de má gestão do espaço público refere-se à colocação em  várias ruas pedonais da Baixa Pombalina de quiosques ditos de venda de jornais.Antes de emitir licenças de ocupação do espaço público para estes quiosques devia a CML ouvir os comerciantes do comércio tradicional na zona quanto às consequências previsíveis para os seus negócios.A realidade é que a CML negoceia com as empresas de publicidade - Cemusa, J.C.Decaux e MCO - as autorizações para estas empresas implantarem mobiliário urbano de vários tipos sem realizar o dever de audição democrática com os empresários comerciais da zona.Aquelas empresas querem, logicamente,que os   quiosques sejam colocados em locais de grande visibilidade e passagem de transeuntes.Lembrando o que aconteceu com o incêndio dos Armazens do Chiado, uma das queixas do Regimento Sapadores Bombeiros na altura quanto às condições em que tiveram de combater o incêndio referia-se ao difícil acesso que encontraram na Rua do Carmo.Naquela altura, a Rua do Carmo tinha vários canteiros em alvenaria implantados assimétricamente em relação ao eixo da rua, o que impossibilitou as manobras dos carros de Bombeiros.Felizmente que,com a reconstrução do Chiado,não foi cometido o mesmo erro de repor os canteiros na Rua do Carmo.Actualmente, se houver um incêndio nas ruas do centro da Baixa, vamos assistir a uma situação identica aquela vivida 20 anos atrás pois os quiosques são de tais dimensões que dificilmente os carros os Bombeiros poderão manobrar.Independentemente das razões de segurança para moradores, trabalhadores e demais utentes da Baixa, estes quiosques de grandes dimensões criam também barreiras visuais que prejudicam a visibilidade das montras das lojas implantadas na zona alterando as condições existentes até agora.Qualquer pessoa concorda que as montras são os melhores vendedores duma loja, ora se as mesmas são encobertas pelos quiosques e seus apêndices ( expositores vários para vender postais e outros artigos) está a CML a prejudicar o normal funcionamento das vendas e criando prejuizos a esses empresários.   



publicado por mercador_da_baixa às 15:16
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Domingos no Terreiro do P...

Mobiliário urbano e negóc...

Ainda acerca da OTA

Eleições para a Autarquia...

Megalomania e Autarquia

Obras em Infra-Estruturas...

Câmara Municipal de Lisbo...

Baixa Comercial e o Túnel...

Futura localização da Fei...

O Comércio e a campanha e...

arquivos

Agosto 2007

Maio 2007

Fevereiro 2007

Junho 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds